28/09 – Todos juntos contra a discriminação etária

Uma ação para discutir a discriminação etária e seus desdobramentos foi realizada hoje, 28/09, na Unibes Cultural. O objetivo da atividade foi abordar temas relevantes para a compreensão do assunto, como ageismo, idoso vulnerável e quebra de estereótipo negativo sobre envelhecimento.

A atividade foi liderada pela psicóloga e idealizadora da Virada Fernanda Gouveia; por Flamínia Manzano Moreira Lodovici, professora da PUC-SP; e por Marco Del Fiol, diretor e roteirista.

Confira os relatos de nossos repórteres cidadãos:

Por Cristiane Pomeranz, da equipe do Você é o repórter – Jornalismo cidadão

Na palestra de hoje foi discutido o conceito de velhice e todos os estereótipos que ela carrega.

A professora Flaminia Manzano Moreira Lodovici, da PUC-SP, enfatizou a necessidade de quebrarmos conceitos negativos comumente relacionados com a velhice. Afinal, o que é ser velho? Essa fase deve ser vista com outros olhos, já que hoje temos um perfil de idoso completamente da imagem que tínhamos. Vivemos mais e podemos, ao longo da vida, optar por escolhas que favoreçam o bem envelhecer.

Também foi discutido o tempo, que aponta uma velhice que nem sempre faz sentido com o tempo sentido ao longo da vida (kairos). No entanto, enfatizou-se a importância de se respeitar esse tempo, para podermos respeitar os velhos que têm desejos e vontades.

Uma outra pergunta lançada durante a ação foi “Como o jovem vê o velho?”. Falamos do mundo capitalista que exclui pessoas mais maduras do mercado de trabalho, o que colabora para que os estereótipos de inutilidade sejam ainda mais acentuados.

Ao final da ação, Fernanda apresentou a proposta do Prêmio Bem Envelhecer, que foi pensado justamente para tentar aproximar os jovens dos velhos.

 

 

Por Yosef Morenghi e Isadora Lopes, da equipe do Você é o repórter – Jornalismo cidadão

Foi realizado, na Unibes Cultural, nesta quinta-feira, 28/09, um debate que abordou o tema da discriminação etária, trazendo discussões a respeito do idoso na atualidade e da quebra do estereótipo negativo sobre o envelhecimento.

A discriminação etária, também conhecida como ageismo ou idadismo, que corresponde à atitude preconceituosa e discriminatória com relação à idade de alguém, é um assunto muito relevante, mas que é raramente discutido.

Flamínia Manzano Lodovici (professora da Gerontologia da PUC-SP), Fernanda Gouveia (psicóloga e professora da PUC-SP) e Marco Del Fiol (diretor e roteirista) iniciaram a conversa falando sobre as pequenas manifestações de discriminação etária que às vezes passam despercebidas e do preconceito que alguns idosos têm com eles mesmos. Com participantes de diversas faixas etárias, iniciou-se uma discussão dinâmica em que todos tiveram a oportunidade de participar para compartilhar suas experiências e opiniões.

Além de alertar para os problemas enfrentados pela terceira idade, o evento divulgou o projeto do Prêmio Bem Envelhecer, que convida o público jovem a discutir e pensar sobre o preconceito etário.

Nessa primeira edição, haverá o concurso de vídeos sobre o tema  de até 3 minutos, realizados em grupos de até 3 jovens. As inscrições devem ser feitas até outubro no site http://www.premiobemenvelhecer.com.br/. A ideia do prêmio é incentivar a quebra de estereótipos através da linguagem dos vídeos curtos, moderna e descontraída.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: